25.10.07

Não se encontra loja mais barata que a Pérola de Macau. Tem de tudo: coisas úteis e inúteis, habituais e exóticas, toscas e delicadas. Por isso, na véspera de Natal, formam-se bichas apressadas mas hesitantes nos seus dois corredores, entre as estantes atafulhadas.
Até ao início das férias era um casal de chineses recém-chegados que atendia os fregueses. Sabiam uma dúzia de frases em português que misturavam com gestos e sorrisos.
-
Que quele ? Pode vele.
Faziam as contas nas costas de um papel impresso com gatafunhos orientais e apresentavam-nas aos clientes, silenciosos.

Mas em meados de Dezembro meteram o sobrinho, que anda na escola, como ajudante. Na verdade é ele quem orienta a loja. Magrinho, com olhos em bico, parece movido a electricidade. Recebe as pessoas à porta, condu-las até à prateleira das molduras, das velas, das porcelanas, faz sugestões, indica preços.

Na loja Pérola de Macau de um momento pro outro as pessoas começaram a não ir la porque abriu um MODELO perto da Pérola de Macau e roubou muitos clientes porque era tudo mais barato. O casal de chineses chamavam-se o pai era o Ernesto a mãe era a Maria do Céu e o rapaz era o Chien o casal era esquisito porque o nome dos pais era português e o nome do rapaz era chinês. O casal vinham da China para montar uma loja.    

publicado por fre às 15:11

André, o teu texto está mesmo muito pobre. Eu penso que é falta de empenho, sobretudo patente nalguns erros que não são já admissíveis. Bom estudo para o teste.
Prof. Paulo Faria a 26 de Outubro de 2007 às 21:13

mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
26
27

28
29
30
31


arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
blogs SAPO